A Engenharia também pode salvar vidas

Dizem que a Engenharia está emtudo. Estudantes da Universidade La Salle têm mostrado que isso pode sim seruma verdade. Da sala de aula para os hospitais, por que não?

 

A recuperação de pacientes comlesão na medula, internados em Unidades de Tratamento Intensivo, é sempre muitodelicada e difícil. Qualquer escolha errada pode ser decisiva nesse processo. Avaliando esse cenário professores dos cursos deFisioterapia e Engenharia Mecânica da Universidade La Salle projetaram umequipamento que pode facilitar o processo de recuperação respiratória dospacientes.  “Normalmente os pacientes que estão submetidos aventilação mecânica por tempo superior a 48 horas já apresentamcomprometimento de forma geral na sua força e redução no percentual de fibrasmusculares, isso acontece também nos músculos responsáveispela respiração como o diafragma e os abdominais. O fisioterapeuta precisaavaliar qual a força respiratória do paciente nessas condições”, explica oProf. Me. Fabrício da Fontoura, da Fisioterapia.

 

A força precisa ser avaliada paraentender se o paciente já tem condições de deixar a ventilação mecânica ouainda precisa passar por um treinamento de força específico parapoder respirar de forma independente. Se isso for feito sem um equipamentoespecífico o paciente pode demorar mais tempo sob ventilação mecânicacomprometendo assim o seu prognóstico sob o risco de novas infecções. O equipamento existente hoje no mercado não atende totalmente asnecessidades dos profissionais da saúde: “Esse equipamento custa hoje até R$ 9mil, além de não ter uma acurácia tão boa. O equipamento que criamos capta maisdados por segundo, gerando informações mais precisas que podemser determinantes nas decisões tomadas na UTI”, explica o professor.


Oque é o equipamento?


O equipamento tem nomecomplicado, manovacuômetro digital MCF001, e foi criado no laboratório deEngenharia Mecânica da Universidade. O protótipo foi construído por ele utilizando um conversorA/D, um sensor de pressão, um comunicador wireless e programação de software. Oproduto está em processo de patente e o projeto será disponibilizado para queoutras UTIs possam construir o equipamento a baixo custo. O equipamento precisa ser registrado e aprovado pela ANVISA para serliberado seu uso clínico na população geral, por enquanto, pode ser utilizadoem estudos científicos aprovados e pesquisa em populações específicas e comrígidos critérios de segurança ao paciente.

Após muitos testes emlaboratórios e nos acadêmicos voluntários, os testes que comprovam aeficácia do manovacuômetro digital foram feitos no Hospital Nossa Senhora dasGraças, em Canoas. Os pacientes com lesãomedular incompleta que foram avaliados aumentaram a força muscular inspiratóriaao longo de três semanas de treinamento. “Os resultadosrevelaram grande contribuição deste equipamento para a área da saúde, visto queas medições podem ser dinâmicas e em tempo real”, avaliou Isadora.

Entre em Contato

Faça sua inscrição
logo-lasalle-shield