31/01/2019 - 17:22
2018: o ano em que o Unilasalle celebrou relevantes conquistas na área tecnológica

O quinto educador do país credenciado na Amazon Web Services Academy. Esse é o novo título de Alex Salgado, professor do curso de Sistemas de Informação. Na reta final de 2018, o docente recebeu a notícia da sua aprovação em prova para a qual se preparou por dois meses. Muito além do upgrade que ele já pode incluir no currículo, no entanto, está o ganho para os seus alunos. Agora os lassalistas terão a oportunidade de aprender com ele os conhecimentos básicos do armazenamento em nuvem, razão de ser da AWS Academy, unidade de negócios da gigante Amazon, a segunda empresa americana a atingir US$ 1 trilhão em valor de mercado, só perdendo para a Apple.

“O professor passa a ser instrutor, apto a dar cursos da tecnologia Amazon nas faculdades. A ideia é oferecermos disciplina optativa com este currículo, utilizando o material oferecido pela AWS Academy. No final, o aluno estará preparado para também tentar conseguir esta certificação profissional, a partir da prova em inglês que é a mesma para o mundo todo”, explica Salgado, “Com isso, conseguimos diminuir o gap que temos entre universidade e mercado de trabalho, porque é uma tecnologia que está sendo usada no mundo inteiro e a Amazon sabe disso, investindo em treinamento porque está tendo muita demanda, mas são poucas as pessoas capacitadas”.

O passo dado pelo docente é mais um que aproxima o centro universitário da Amazon Web Services Academy. Em setembro, o Unilasalle-RJ recebeu a visita do representante da AWS na América Latina, Alejandro Martinez, e do gerente técnico do programa, Charleston Telles. Aquele encontro marcou o início da parceria entre as empresas, com a IES passando a ser uma das 13 instituições que integram a AWS Academy. A sinergia dá direito a US$ 200 anuais a professores e US$ 100 a alunos na nuvem da Amazon.  A nuvem é um modelo de computação que permite o armazenamento de dados na Internet com acesso a qualquer momento. Na avaliação de Salgado, “não basta apenas uma boa ideia, tem que saber implementar. E se você pensa em criar uma solução tecnológica escalável, robusta e altamente disponível em uma rápida prototipação, tem que aprender os segredos da Programação em Nuvem”.

Em entrevista ao site do Unilasalle-RJ, Charleston Telles parabenizou Alex Salgado pela conquista e se disse “muito empolgado” em ter a instituição como parceira no programa educacional da AWS. Confira na íntegra o depoimento dele:

“Ter o professor Alex Salgado como professor credenciado AWS é de extrema importância no que diz respeito a trazer o conhecimento de Cloud Computing (Computação em Nuvem) para os alunos de cursos superiores relacionados à tecnologia. Existe uma extrema demanda no mercado brasileiro por profissionais qualificados em migração e implementação de recursos computacionais, usando centro de processamento de dados (data centers) remotos e distribuídos (chamados de data centers in cloud). E através de professores credenciados, como o professor Alex, os alunos terão acesso a materiais de estudos e laboratórios para se qualificarem em computação em nuvem. Além do suporte local do Alex, os alunos receberão suporte da AWS para a realização da prova de certificação, e com a obtenção do certificado terão sem dúvida maior potencial de empregabilidade no momento de conclusão do curso. Outra certeza é que empresas locais do estado do Rio de Janeiro se beneficiarão de alunos formados pelo Unilasalle-RJ, no que tange à demanda daquelas empresas por profissionais qualificados, certificados e com experiência ‘mão na massa’ de Computação em Nuvem, sendo muitas dessas empresas já clientes da AWS”.

Além de Alex Salgado, outros quatro professores se interessaram pela certificação e estudam para a prova da AWS. Os primeiros educadores brasileiros credenciados no programa são naturais dos estados de São Paulo, Minas Gerais e Paraíba, sendo Salgado o único do Rio.

Recebida com festa, a notícia da certificação não foi a única conquista que chegou ao e-mail de Alex Salgado em 2018. Dia 5 de setembro, o professor celebrava a cada palavra lida: “seu projeto é um dos vencedores do Concurso de Boas Práticas Google for Education realizado pela Nuvem Mestra. Anunciamos que seriam 5 vencedores, mas a classificação da banca foi acirrada. Por diferenças mínimas de pontuação, 11 projetos ficaram muito próximos. A organização do evento criou categorias para dar visibilidade também para esses 6 projetos que se destacaram”. Ao todo, mais de 170 iniciativas com uso da tecnologia entraram no concurso, criado para “fomentar a troca de boas práticas entre as instituições de ensino e valorizar o professor”.   

O Unilasalle-RJ foi a única IES do estado do Rio de Janeiro entre os ganhadores, tendo sido contemplada na categoria “Ideias fora da caixinha”. Mas o que significa sair da caixinha? Salgado sintetiza como “pensar além do óbvio e enxergar, dentro das possibilidades do que tem de novo, o que você pode empregar no seu dia a dia. Não precisa ser grandioso. E não adianta só os insights, tem que experimentar. Observar, analisar, medir, implementar, aprender. No final, é gerado algo que pode até ser diferente do que você tinha pensado no início”.   

A busca pela solução simples motivou a criação do Game La Salle para a Acolhida 2018.1, a partir do trabalho conjunto de Alex Salgado, alunos tutores Google, que pensaram e programaram as etapas, e o setor de Comunicação e Marketing da instituição. O game consistiu em encontrar QR Codes espalhados pelo centro universitário. A cada parada, uma pergunta relativa ao Unilasalle-RJ precisava ser respondida. Para além de premiações diárias, o game contou com três melhores colocados na pontuação geral, contemplados com headphone (terceiro lugar), caixa de som Bluetooth (segundo lugar) e Chromecast (primeiro lugar).   

“O que fizemos foi gameficar o tour que realizamos com os alunos para eles conhecerem o campus e um pouco mais sobre a educação lassalista. Por isso, os QR Codes em diferentes posições geográficas. Utilizamos como base para as perguntas o manual do aluno, para incentivar a leitura do material”, explica o professor sem deixar de falar também sobre os bastidores: “Separamos uma sala e empreguei a Metodologia Ágil para gerenciar o projeto.  Nos reuníamos todos os dias e era isso, trabalho em equipe. Um ficava responsável por ler o manual e gerar as questões, outro tabulá-las na planilha Excel, o outro pensar nos locais... Sempre tinha uma ideia nova, um teste para ser feito. Até no último instante tínhamos o que fazer. Às 23h da véspera ainda colávamos QR Codes”.

A dedicação gerou o resultado inesperado dos estudantes passarem a utilizar o QR Code em seu cotidiano. Outro fruto da dedicação foi estimular a responsabilidade dos alunos tutores, selecionados para orientar colegas no emprego das potencialidades do Google for Education. Um deles é Lucas Lattanzi. O discente do 6º período de Sistemas de Informação se empenhou para a concretização do projeto e foi o escolhido por Alex Salgado para acompanhá-lo na premiação, realizada na sede do Google no Brasil. O evento foi no dia 26 de setembro. Confira fotos:

E relembre outros êxitos do ano passado relacionados à tecnologia:

Inauguração do Espaço Conecta

Unilasalle-RJ promove seu primeiro Hackathon

Parceria com Amazon Web Services Academy

Aluno lassalista vence Hacknit

Palestra sobre inovação com head do Google for Education

Parceria com Google for Education

 

 



Confira a galeria de fotos e vídeos
Voltar