05/12/2018 - 18:12
Disciplina do Unilasalle-RJ incentiva alunos a gerarem benefícios à sociedade

É a reta final. No 8º período, o aluno está com a mente imersa no Trabalho de Conclusão de Curso, com o pé no mercado de trabalho, com o coração repleto da saudade pelo que viveu por quatro anos, com o frio na barriga característico da ansiedade pelo que vem. E seu olhar, para onde está voltado? Juliana Jomori tem a resposta: para o outro. A docente do Unilasalle-RJ ministra Ética para alunos do último período de Administração. E há dois semestres convida os quase formandos a executarem projetos que possam trazer algum benefício à sociedade fluminense. A disciplina é uma parceria com a Ação Comunitária do Unilasalle-RJ.  

Divididos em grupos, os alunos protagonizaram iniciativas relacionadas à assistência social, educação inclusiva, meio ambiente, lazer e entretenimento, esporte, acesso à leitura e à arte, adoção de animais, captação de recursos. Assim, tiveram a oportunidade de criar clube de inglês na Escola La Salle RJ, visitaram e fizeram limpeza no Lar de Beth, casa que abriga crianças no Largo da Batalha, deram aula de informática para adultos acima de 50 anos e colocaram as mãos na terra para tornar realidade a horta orgânica no Centro Social Vicenta Maria. Em depoimento ao site do Unilasalle-RJ, a graduanda Milena Pereira, que acaba de cursar a disciplina, falou sobre a experiência. A futura administradora lembrou a criação da horta que atenderá crianças e jovens atendidos pelo Projeto Desabrochar. Confira na íntegra o balanço feito por Milena:

“Uma proposta lançada dentro da sala de aula do 8º período de Administração, acabou tomando proporções inimagináveis. A professora Juliana Jomori nos desafiou a planejar e executar um projeto que trouxesse algum benefício para o nosso entorno. As turmas foram divididas em grupos e a Ação Comunitária ofereceu uma lista de locais que já recebem o apoio do Unilasalle.

Um dos grupos, formado pelos alunos Débora Souza, Milena Pereira, Pedro Rodrigues, Raquel Souza e Thaís Andrade decidiu desenvolver uma horta orgânica dentro do Projeto Desabrochar, situado na Rua Noronha Torrezão, 217. O projeto recebe crianças em situação de risco aos sábados, das 9h30 às 17h. Bárbara Pires, egressa do Unilasalle-RJ e integrante da Ação Comunitária, foi a ponte de acesso dos alunos ao Projeto e uma das grandes apoiadoras da ideia.

Na primeira visita, percebemos que o espaço era dez vezes maior do que se esperava, o que exigiu mais esforço e uma melhor adaptação do escopo inicial da ação. No dia 2 de novembro, recebemos uma contribuição muito importante dos professores. Roberto Primo, Suenne Righetti e Juliana Jomori, além de seus familiares e amigos, vieram ajudar na limpeza do terreno.

 

O trabalho foi apresentado no dia 13 de novembro, mas alguns dos integrantes do grupo não ficaram satisfeitos por não conseguirmos cumprir com a meta inicial. E foi nesse momento que um trabalho de sala de aula se tornou um evento multidisciplinar. No dia 1 de dezembro, além dos coordenadores do Projeto Rondon, a realização da horta orgânica recebeu o apoio dos rondonistas do Unilasalle-RJ, da coordenadora de Engenharia de Produção, Maria Inês Furtado, do professor de Direito Talmo Rangel, de Bárbara Pires e de vários alunos dos cursos de Administração, Engenharia Civil, de Produção e Elétrica.

Neste dia também foram ministradas oficinas como a de profissão, onde alunos, professores e a coordenadora de Engenharia falaram sobre suas escolhas de carreira, incentivando os beneficiados do projeto a pensar no futuro. Na de sustentabilidade, explicamos o que é meio ambiente, sua importância, como mantê-lo e os cuidados necessários com a horta. Em seguida, todos se uniram para plantar as mudas, sementes e instalar o processo de irrigação por gotejamento.

No processo de planejamento, também conseguimos doações, como brinquedos, roupas, sapatos e livros, que foram entregues no mesmo dia.

Muito além da sala de aula, e atingindo a meta de criar um projeto autossustentável, a ação da horta orgânica no Projeto Desabrochar provou que ‘sozinho você chega mais rápido, porém, juntos vamos mais longe’ (Clarice Lispector)”.

Para Juliana Jomori, a disciplina permite que Milena e os outros discentes "vivenciem a Ética de forma pragmática". "Temos mobilizado muitas pessoas e recursos, os alunos têm descoberto competências humanas e sociais desconhecidas ou adormecidas e sempre apresentam o trabalho com o depoimento de que foram tocados tanto quanto tocaram. Sentimo-nos realizados com os resultados, pois, um dos pontos mais relevantes em se tratando de alunos formandos, é que eles foram iniciados nos conhecimentos básicos necessários à gestão comunitária. Uma nova visão foi compartilhada com os alunos e uma semente de bem para os que estão à nossa volta foi plantada em seus corações", conclui. 

Por Luiza Gould

Ascom Unilasalle-RJ



Confira a galeria de fotos e vídeos
Voltar