23/11/2018 - 11:20
Anjos de apenas uma asa: Coral da Casa Convívio emociona o Unilasalle-RJ mais uma vez

Enquanto cantava junto de seus amigos o refrão de “A voz do morro”, dona Thereza de Jesus mexia seus pés no ritmo da música. De um lado para o outro acompanhava o compasso da canção, sem tirar os olhos da letra para não perder nenhuma palavra ou nota. Os 89 anos de experiência não impediram que ela, e mais 30 colegas, pudessem estar no Auditório La Salle, no dia 6 de novembro em mais um show que a Casa Convívio deu de presente para o Unilasalle-RJ.

“Eu não sei por que gostam de mim! Eu sou assim, eu sou isso que você está vendo. Pode ser feriado, pode ser em um casamento ou em um batizado, enterro, em todos os lugares, eu sou assim! Eu sou Thereza”. Segura de si e de sua história, Thereza não deixa de listar os motivos pelos quais seus dias são melhores com a Casa Convívio. “Cada dia é uma oficina, tem literatura, tem música, e nós cantamos muito. Recebemos visitas de músicos e eles acabam virando nossos amigos porque todos chegam bem e saem de lá bem”, conta.

Thereza de Jesus (a primeira, da direita para a esquerda) concentrada durante sua apresentação

O acolhimento presente nessas palavras podia ser sentido naquela noite de terça-feira, a começar pelas boas-vindas dadas ao público: “Somos todos anjos com uma asa só; e só podemos voar quando abraçados uns aos outros”. José Francisco utilizou a frase do ator, escritor, diretor e engenheiro italiano Luciano de Crescenzo para recepcionar parentes e amigos dos artistas, além de alunos do Unilasalle-RJ, no dia 6. Irmão de Cândida, a responsável por gerir a Casa, ele utilizou de poesia ao longo de toda a sua fala, para ressaltar a importância dos laços que estabelecemos. “Nós não podemos voar sozinhos, para voar precisamos nos abraçar, por aqui só existem anjos voando abraçados”, prosseguiu ele.  

O abraço, o carinho e a união, não faltam quando se trata dos Convivas. Assim bem sabe Rosa Salgado, que os ajuda a exibir todo o talento inerente, e se emociona ao contar sobre a expectativa dos idosos para a apresentação no centro universitário, evento presente no calendário desde 2012: “O dia de hoje, é o dia em recebemos nossa medalha de ouro, nossa consagração por um trabalho que foi elaborado durante o ano inteiro. Nós começamos em março e toda terça-feira eles estão lá, faça chuva ou faça sol”. A maestrina classifica o trabalho de cantar com os convivas como algo “extraordinário”. “Tem dias que o idoso quer ficar mais quietinho e nós chegamos lá empolgando, motivando, levantando o astral. Eles acabam sendo envolvidos, porque a música tem essa magia de envolver”, conclui.

Rosa recebeu homenagem durante a apresentação dos Convivas

 

 

Angelina Accetta Rojas, professora e coordenadora do Núcleo de Arte e Cultura do Unilasalle-RJ, novamente foi o nome por trás do evento da Casa Convívio. Desta vez, ela estava acompanhada de alunos dos cursos de História e Pedagogia que auxiliaram na organização, e mencionou a importância de valorizar momentos como esse no ambiente acadêmico: “Realmente somos anjos de uma asa só. Precisamos do outro e não iremos melhorar nossa sociedade enquanto não nos unirmos. Essa união é a maior religião, que é o amor. Só o amor é capaz de transformar”.

Acima, Angelina Accetta em momento de emoção com Irmã Cândida. Abaixo, a alegria da orquestra da Casa Convívio

 

Por: Camila Reis/ Revisão: Luiza Gould

Ascom Unilasalle-RJ

 



Confira a galeria de fotos e vídeos
Voltar